Ouro Preto - Patrimônio da Humanidade

Uma fabulosa e linda cidade setecentista encravada num vale profundo das montanhas mineiras. Anacrônica, espantosa, fascinante... Ouro Preto ressurge como uma visão, uma miragem em meio à densa névoa matutina. A sensação para os visitantes de primeira viagem é empolgante. De repente parece que a viagem no tempo é uma realidade. Uma romaria de vivos se mistura a uma romaria de mortos. Figuras históricas e/ou anônimas se confundem aos contemporâneos. Esbarram e semeiam falácias.
Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira a ser declarada pela UNESCO, Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, no ano de 1980.
Sendo um dos principais destinos turísticos de Minas. Nos finais de semana e feriados prolongados a cidade fica repleta de turistas. Excelentes hotéis surgiram para atender a demanda. De uma forma geral conciliam o esplendor barroco com os confortos e facilidades da vida moderna.

Apesar de ter a a maior parte do intenso fluxo turístico focado na arquitetura e importância histórica, o município possui um rico e variado ecossistema em seu entorno, com cachoeiras, trilhas seculares e uma enorme área de mata nativa, que teve a felicidade de ser protegida com a criação de Parques Estaduais. O mais recente destes situa-se próximo ao distrito de São Bartolomeu (Ouro Preto)São Bartolomeu.Ouro Preto também se destaca pela atividade cultural. Todos os anos, sedia o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana.


Ouro Preto está acima do bem e do mal. Quem não pensa assim não aproveita bem a cidade. é extremamente humana, por isso mesmo corajosa e cruel. A crueldade está escrita nas paredes entumecidas pela queima de óleo de baleia das antigas minas de ouro. Os escravos eram forçados a entrar em pequenas aberturas e lá ficavam praticamente o dia inteiro, respirando a fumaça das tochas, o suor exausto e o sufocante exalar de urina e fezes. Já a coragem repousa resplandecente no Panteão da Liberdade, onde descansam os restos daqueles que um dia sonharam a independência de Minas Gerais e também, e por que não, do Brasil.
Os médiuns dificilmente conseguem visitar Ouro Preto. Talvez sintam a forte carga de energia humana que paira sobre suas igrejas e casas. Não é preciso ser mais sensível para perceber que não se entra sozinho nesta cidade mineira. Há sempre algo, um vulto que acompanha e sussurra palavras contundentes de amor ou de ódio. Ouro Preto é uma fascinante maquete do que a humanidade produziu de melhor e pior. Aqui a história pesa em nossos ombros.

Arquitetura

Casa dos Inconfidentes : localizada no morro do Cruzeiro, foi provavelmente local de reuniões dos inconfidentes. Era propriedade do pai de José álvares Maciel, que devia muito à Fazenda Real. Maciel, por sua vez, dependia financeiramente do pai e se tornou um dos mais ativos articuladores do movimento. A construção abriga até hoje alguns móveis de época.

Largo do Rosário : um passeio por este recanto de Ouro Preto é a exata tradução da engenhosidade da arquitetura barroca. Formas se sobrepõem, possibilitando a simbiose perfeita entre o relevo íngreme e os sobrados geminados

Casa da Ópera (Teatro Municipal) : o mais antigo teatro em funcionamento em toda a América Latina e o primeiro do Brasil. Erguido por João de Souza Lisboa e inaugurado em 1770. Palco privilegiado da forte teatralidade barroca mineira, onde a emergente sociedade setecentista ostentava todo o luxo e a pompa proporcionados pelo ouro

Casa de Aleijadinho : neste local, provavelmente entre os números 76 e 90, existiu a casa onde viveu o grande gênio do barroco mineiro, Antônio Francisco Lisboa.

Como chegar?

São Paulo: Vá pela BR381 até o trevo para Lavras. A partir daí pegar a BR265 até Barbacena. Desta cidade acessar a BR040 sentido Belo Horizonte até Conselheiro Lafaiete. Entrar em Lafaiete e seguir pela Estrada Real (asfaltada), passando por Ouro Branco e finalmente chegando a Ouro Preto

Rio de Janeiro (capital): o trajeto é quase todo pela BR040, até Conselheiro Lafaiete. Desta cidade pegar a Estrada Real (asfaltada), passando por Ouro Branco e chegando a Ouro Preto.

Espírito Santo: segue pela BR262 até Rio Casca. De lá o percurso é pela MG329 até Ponte Nova. A partir daí seguir pela MG262, passando por Mariana e chegando a Ouro Preto.

Os turistas do sudeste de Minas (norte da Zona da Mata mineira) e norte do Rio de Janeiro devem seguir até Viçosa (MG). De lá pegar a BR120 para Ponte Nova. Desta cidade a viagem continua pela MG262 até Ouro Preto.

Amanhã nossa viagem segue rumo a cidade de Governador Valadares. Até Lá!
0 Responses

Postar um comentário